10 de abril de 2017

♥ Um Natal Diferente - O Nosso Natal, Simples e Humilde ♥

Bom dia meus amores  

Tudo bem com vocês? Espero bem que sim!!


Quem me conhece, bem sabe, que não sou pessoa de expressar os meus sentimentos, no facebook ou até aqui no meu blog. O facebook, criei para partilhar as minhas experiências culinárias e não para partilhar coisas íntimas. São raras as fotografias que tiro com o meu marido e com a filhota e partilho, porque entendo, que há coisas que devem ficar só para nós e devemos reservar, alguns desses momentos,… continuando,….

Estive a pensar se escreveria estes posts, sobre o Natal e o Ano Novo e achei que o deveria fazer. Para desabafar talvez e para tirar este peso de cima de mim. Um peso, que me consome, sempre, que chega uma festa, seja ela, o Natal, Ano Novo, Páscoa, ou algum aniversário nosso (filhota, maridão e meu).


Desde que me casei que o Natal e o Ano Novo é sempre passado na casa dos meus pais, com os sogros e cunhados. NUNCA passei em casa dos meus sogros, nem apenas e só com eles,….

Não somos propriamente, uma “família dita normal” e às vezes fico a pensar, que se há uns anos atrás, tivesses optado, como a maioria dos casais fazem, Consoada com sogros e Natal com pais e/ou vice versa, se calhar neste momento “a nossa vida”, não estaria a passar por estes momentos. É tudo muito bonito, mas a inveja começa sempre no seio familiar, mas só com o passar dos anos, é que vemos, quem realmente está ao nosso lado.

...

Os anos foram-se passando e a minha Inês nasceu e comecei a sentir-me mal, pois os meus pais é que tinham que comprar tudo. O bacalhau era dado pelos meus sogros, assim como uma sobremesa, mas os meus pais é que compravam tudo o resto, como as couves, as batatas, a carne para se fazer no dia seguinte, fazíamos as rabanadas, a Aletria, os sonhos, para além que se gasta água e luz e isso também era despesa,…e, achei que estava na altura de os meus pais, terem um pouco mais de descontracção e de não serem sempre eles a arrecadarem com todos os gastos. E começamos a fazer alternado, um ano em casa deles e outro ano na nossa casa. Quanto aos sogros nada,….de nada,…inclusivê pediram aos meus pais para fazerem lá, que a casa era maior e blá blá blá whiskers saquetas,….os meus pais moram num apartamento como eu e meus amigos, quando há vontade, há vontade,….mas enfim,…

Os anos foram passando até que a “ficha” caiu à minha cunhada (irmã do meu marido) e ela começou a entrar também na onda, um ano na casa dos meus pais, no outro na minha e no ano seguinte na casa dela. Mesmo assim e incomodada com toda esta situação, coloquei as coisas em cima da mesa. Perguntei a todos, se não podíamos na altura das festas ir a um supermercado, comprar tudo e dividíamos as despesas com os 4 casais (pais, sogros, cunhados e nós). E agora perguntam vocês, porque foste tu que tiveste a iniciativa? Simples, porque estava farta de ouvir uns e outros, mas ninguém teve a coragem e a determinação de o fazer. E assim, desta forma que eu achei e ainda acho que era a mais justa para todos, ninguém era penalizado e todos passavam as suas festas em paz e sem haver, aquelas bocas de quem comprou isto ou aquilo.

E assim foi, durante uns anos, até ao ano passado,….


Os meus sogros, têm um defeito muito grande. Reparam se temos roupa nova, se a filhota tem umas sapatilhas novas, se temos uma camisola nova. Quando nos dão alguma coisa, ou uns €€ à filhota (neta deles), passado uns tempos, atiram à cara, que nos deram x €€,…das poucas vezes, que vamos almoçar ao Domingo, reparam no que comemos e bebemos (e isso também começou a sentir-se quando estávamos todos juntos, principalmente nestas festas) e isso magoa-me, revolta-me, deixa-me triste e com um nó na garganta. Isso prejudica a relação com o meu marido, o ambiente fica frio e eu não consigo, deixar passar estas situações e não perco a oportunidade de lhe dizer e de lhe demonstrar o meu sentimento,….

Se há pessoas que me ajudaram, desde que me casei foram os meus pais. Que sempre foram pessoas humildes, trabalhadoras e lutadoras. E que se têm aquilo que têm hoje, foi à custa de muito trabalho e suor,….

Com o passar dos anos as coisas vão modificando, começamos a conhecer melhor as pessoas e temos um abre olhos, referente a quem menos nós esperávamos,…falo assim, da minha “outra família”,….

E chegou aquele dia, que a “água do copo transbordou”, o dia que eu sempre tive medo que chegasse, chegou,….os meus pais, decidiram que não queriam sair de casa, que não queiram ir no Natal a lado nenhum. Por uma lado não queria ir sem os meus pais e por outro não queria deixar-los sozinhos,….senti-me triste, impotente, sem saber o que fazer,….e revoltei-me,…..e por minha vontade e em conversa com a filhota e com o meu marido, ficámos em casa apenas nós os 3. Eu, maridão e filhota. Foi um Natal diferente, triste,…talvez,…mas tivemos em família, a “nossa família”, estivemos em paz, em sossego, tivemos a nossa consoada simples, sem aqueles olhares se estamos a servir a 2ª vez, sem ninguém a controlar o que comemos e o que bebemos,..... também tivemos as nossas prendas e ainda fomos à missa do galo (que nunca tinha tido a oportunidade de ir e adoramos, principalmente a minha Inês).

Apesar do Natal ser diferente, não deixou de haver rabanadas, bolo rei, sonhos, aletria,….éramos poucos, mas a magia do Natal, essa,…esteve sempre lá,….

Peço desculpa pelo testamento, mas senti que tinha que o fazer,…..se calhar irei arrepender de tudo o que escrevi, se calhar não,…..se calhar ainda teria muito para desabafar,....se calhar não era a altura ideal,....mas o certo é que já me sentia em baixo, triste e de certa forma, este testemunho, apenas serve como que um desabafo,....para as pessoas entenderem que eu tenho sentimentos e tomo decisões em ânimo leve, tomo decisões, porque há situações que me revoltam, atitudes que decepcionam e às vezes ,.....as pessoas mais chegadas, não me entendem,....

Nem imaginam, o quão aliviada estou,….

Desta forma, aqui partilho com vocês, algumas fotos, do nosso simples e humilde Natal,…



Rabanadas, receita da minha mamã, que podem ver aqui,....





Sortido diverso de compra,...




Aletria, receita da minha mamã, que podem ver aqui




Sonhos, receita da minha mamã, que podem ver aqui,....




Bolo Rei de compra,....




O prato da consoada, foi Bacalhau cozido com Batatas e Couve e no dia de Natal, fiz Bacalhau com Natas,...mas nem foto tirei,....


Espero que tenham gostado,....

Beijinhos,.....

Agora também me podem seguir no instagram!


Façam o like na minha página, ficarei muito feliz e queria muito ter os vossos likes  




9 comentários:

cozinha100segredos disse...

Oh Mary, quando comecei ler nunca pensei que me ia identificar tanto com o que escreveste... Os meus sogros também não são pessoas fáceis, ao contrário dos meus pais que sempre tudo fizeram e fazem para ajudar. Os meus sogros são pessoas ainda novas mas acham que não têm obrigação nenhuma com os netos, nem connosco. Nem sequer os querem lá a passar o fim de semana ou férias, dizem-lhes que têm um bicho no colchão sempre que os miúdos pedem para ficar lá. Acho que se não os querem lá mais valia dizerem-lhe que não e pronto, em vez de estarem com mentiras parvas. Eles pensam que os miúdos não percebem nada, mas esquecem-se que um dia vão crescer e depois não se podem admirar se os netos não lhes ligarem nenhuma. Não posso contar com eles para nada. Até quando estou doente eles recusam-se a ficar com eles. Também nunca passei um único Natal ou Ano Novo na casa deles. Mas o curioso é que querem vir passar cá e se não os convidamos é um problema. Têm ciúmes da relação que eu e o meu marido temos com os meus pais. Mas se não temos a mesma relação com eles é porque eles não querem e não permitem. Se há tradição que gosto de cumprir é a de ir às missa do galo que é uma das mais bonitas do ano. Há dois anos decidi convidar os sogros para virem passar a consoada connosco em vez de passarmos com os meus pais. Embora o meu marido não tenha concordado eu achei que era meu dever pois apesar dos defeitos não deixam de ser os pais dele e os avós dos miúdos. Ainda por cima os miúdos ainda não compreendem estas coisas por serem demasiado pequenos e nem têm culpa sequer de terem uns avós assim. Arrependi-me amargamente. Vieram, encheram a barriguinha e mal acabou o jantar disseram logo que tinham de ir para casa dormir que já era muito tarde (21:30!). Convidámos para irem connosco à missa do galo. Recusaram. E ainda começaram a dizer que nós não tínhamos nada que ir para a missa do galo, que era muito tarde para as crianças, que devíamos era ir dormir também. Fizeram um filme. Eu mantive sempre a postura, não querem tudo bem, mas para a missa do galo é que vamos. Eles foram para casa, nós fomos para a missa, os miúdos adoraram e foi o momento mais bonito daquela noite. Este natal passado resolvi convidar apenas a família da minha parte. Foi uma verdadeira consoada. No final convidámos os meus pais para nos acompanharem à missa do galo, convite que aceitaram de imediato. Depois da missa do galo ainda vieram até cá a casa comer e conviver um pouco mais e depois foram embora. Note-se que os meus pais vivem a 30km e os meus sogros a 5 minutos... Há coisas que não se compreendem mesmo. Depois admiram-se de nos darmos melhor com os meus pais... Ainda assim, como eu sou uma pessoa justa achei que devia convidá-los no ano novo. Mais uma vez contra vontade do meu marido que já sabe o que a casa gasta. Vieram, quando chegaram ainda mandaram umas bocas por não terem sido convidados pelo natal (esqueceram-se que o natal anterior foi passado só com eles...), pouco comeram e gabaram-se de não terem apetite pois tinham ido comer à grande e à francesa no restaurante à hora do almoço (mas não nos convidaram!), e mais uma vez assim que acabou o jantar puseram-se a andar. E é isto. Como vês não és caso único. E depois de ler o teu post também percebi que não sou caso único. E isto que contei é só uma gota num oceano que não tem fim. Este é um assunto que guardo sempre para mim pois se eu contasse a alguém ninguém ia acreditar pois perante a sociedade eles mostram ser pessoas perfeitas. Olha, hoje estamos as duas mais aliviadas! Um enorme beijinho

Joana Claro disse...

Não era suposto pois não? Também não consigo perceber porque algumas pessoas são assim. Também tenho algumas situações assim com os meus sogros mas felizmente o meu marido é o primeiro a admiti-lo e torna tudo mais fácil... EMas que é triste e desnecessário lá isso é... Espero que entre vocês tudo se resolva e que tudo consiga encontrar o seu equilíbrio.
Beijinho
http://asreceitasdamaegalinha.blogspot.pt/

Luisa Alexandra disse...

Mary, todas as famílias tem problemas e acredita que a maior parte passa por situações bem mais complicadas do que a que descreves :)
Quando nos casamos é apenas e tão só com o nosso marido, a família que vem por arrasto só tem as atitudes que tem por iniciativa própria, mas nunca, mas nunca devemos aceitar ou calar só porque é a família do marido. Se achas que algo não está bem fazes muito bem em querer mudar. Beijinho.

Andréa Santana disse...

Mary minha querida,
Parece que quase todas as famílias são iguais, tenho algumas amigas que passam pela
mesma situação que a sua.
Graças a Deus dou-me muito bem com a minha sogra, o meu sogro já morreu, minha é uma avó maravilhosa o meu filho a ama muito. Ela me ajudou muito quando o meu filho era bebê.
Esse natal que vocês passaram sem os familiares foi uma experiência para todos, quem sabe esse ano tudo muda.
Gostei dos quitutes, só delícias!

Bejinhos no seu ♥

Inês disse...

Muito chato quando essas situações acontecem e acho sim que tens que dizer sempre que achares que alguma coisa está mal. Casaste com o teu marido e não com os pais dele e por isso é com ele e a tua filha que faz sentido passares os momentos mais especiais e sem sogros por perto também os mais felizes. :) Beijinhos e muita paciência.
--
O diário da Inês | Facebook | Instagram

Catarina H. disse...

Oh minha querida, como te compreendo!
A minha situação é tão, mas tão parecida com a tua, que até faz impressão, principalmente na questão do dinheiro e no reparar se temos coisas novas. Faz-me tanta confusão, pois não fui nada habituada a isto. Também há muitos ciúmes do meu lado, mas não fazem nada para alterar as relações, muito pelo contrário! Querem ser sempre os lindinhos mas na verdade não fazem um esforço para o serem.
Afinal chego à conclusão que o meu caso não é o único e, apesar de não ficar nada contente com estas situações, pelo menos já não sei que não estou só nestes problemas.
Mas por que é que as pessoas têm que ser tão complicadas? A gentileza e a boa educação resolvem tanta coisa que não percebo porque é que as pessoas têm que andar sempre a arranjar problemas. Comigo nas festas também é complicado, os sogros nunca fazem nada, vão se colando aqui e ali e nós vamos sempre é para casa dos meus pais, que têm todo o gosto em receber-nos, sempre.
Desculpa também o meu testamento, mas também anda cá muita coisa a fazer mossa.
Espero que tudo melhore para os teus lados e que esta Páscoa seja muito feliz :)
O teu Natal foi pelo menos delicioso, a julgar pelas fotos dos doces maravilhosos.
Beijos Grandes :*

Joana disse...

Às vezes é preciso desabafar! Tenho a certeza de que te sentes melhor e que não estás arrependida! Fizeste bem, em falar e em escrever!
O Natal a 3 também foi giro! A mesa estava um encanto com sobremesas lindas! Tenho a certeza que sentiste muita falta dos teus pais! Mas pode ser que para o ano te juntes só com eles :) Mais calmo, e sem olhares!!! Depois almoças no dia seguinte com os sogros!
Infelizmente há pessoas assim, e tens que lidar com isso por serem os pais da pessoa que gostas! Não acredito que mudem muito com esta idade. Mas o facto de passarem o natal sozinhos pode ter feito com que reflectissem.
Um beijinho

PINTA ROXA disse...

Sei como te sentes, já passei pelo mesmo, e se a tua complicação é só em alturas de festa, eu tinha todos os dias, pois morava ao lado da casa dos sogros.
Se fazia sopa era porque não fazia carne, se fazia carne era porque não fazia pão, se fazia pão...enfim um tormento. Pior na Altura o meu marido tudo o que a mãe dissesse é que era válido. Foi um tormento durante 3 anos. Depois melhorou pois mudei de casa e os encontros eram mais distanciados
Mas já passou #divorciei-me entretanto..#.
Bom mas continuando, se passaram os três um bom Natal, mesmo que tivesses saúdades dos teus pais, mas se foi em paz e harmonia isso é que foi importante, e pelo que vejo a mesa estava muito composta.
Beijinhos

Carla Marques da Silva disse...

É complicado quando não "remamos" todos para o mesmo lado :( A vida é tão curta, que não devemos dar importância àquilo que não nos faz feliz. A felicidade está acima de tudo, a par com o amor e a alegria.

Não interessa se é simples, o que interessa é que seja feito com muito amor e carinho e isso torna tudo o que é simples em maravilhoso :)

Adorei, que aspecto fantástico, vê-se que foi feito com muito carinho!

Beijinho grande e uma Páscoa muito feliz! <3
https://demantanosofa.blogspot.pt/