28 de outubro de 2015

♥ Broas de Todos os Santos - MFP ♥

Bom dia meus amores 

Tudo bem com vocês? Espero bem que sim,…

Às vezes, quando me lembro da minha infância, sinto-me "triste" de certa forma.

Tive uma infância feliz é certo e só tenho a agradecer aos meus pais por isso. Se hoje sou a mulher que sou e a pessoa que me tornei, a eles o devo, pois criaram-me com ensinamentos, que hoje em dia tento transmitir à minha filha.

Mas lembro-me em pequena, quando andava na escola primária, quando chegavam as férias do Natal, da Páscoa e as férias grandes, os meninos comentavam, que iam à aldeia visitar os avós. Nunca tive os avós na aldeia, nem sabia o que isso era,...e eu pensava, como devia ser bom, sair de casa, fazer uma viagem e ir para outra terra. 


Os meus pais sempre foram pobres e muito humildes. E se hoje em dia, têm o que têm, foi à custa de muito trabalho. Trabalho de campo, muito suor, o acordar às 6 da manhã, não era fácil. 

As lembranças que tenho, são tantas,.....lembro-me de andar de bicicleta, por cima da erva, num enorme campo que tínhamos, o vento a bater na cara; lembro-me de apanhar o milho, tirar o milho da espiga, depois colocar o milho ao sol a secar, lembro-me das galinhas e dos patos que tínhamos; do enorme tanque, cheio de água e que a minha mãe lavava a roupa, fosse Inverno ou Verão (não tínhamos máquina na altura); lembro-me das flores do jardim, que a minha mãe cuidava com carinho; dos frutos e dos legumes que o meu pai regava, todos os dias; lembro-me de andar de galochas e com uma mangueira, regar o quintar e lavar os passeios; lembro-me das fogueiras que o meu pai fazia, para queimar os paus quando o meu pai podava as árvores; havia sempre algo do campo, fosse frutas, couves, tomates, abóboras....que saudades…..e as minhas férias eram assim, na terra, ao ar livre, com os meus pais. Na altura o meu irmão não era nascido e eu brincava sempre com uma vizinha amiga e prima minha (tínhamos a mesma idade, lembras-te Mariana?)

Quantos aos avós: Avô paterno não tinha, morreu ainda não era nascida, avó paterna (ainda é viva, mas como em tudo na vida, há coisas que não se explicam, ela teve 3 filhos, dois rapazes e uma rapariga, se numa semana andava bem com um filho, já não falava para os outros dois,....ainda hoje assim o é infelizmente), avós maternos, a minha avó materna faleceu, ainda eu era pequena (andava eu na escola primária), mas lembro-me da cara dela, do sorriso, da alegria que tinha. O meu avô materno, faleceu quando eu estava grávida. Eles moravam em Espinho (ainda lá cheguei a andar na pré-escola) a recordação que tenho é de ir visitar-los aos Sábados, com os meus pais e ficávamos lá de Sábado para Domingo. 

Agora, estão vocês a pensar, olha-me esta agora, a rapariga passou-se e conta a vida dela toda? 

Isto só para dizer, que gostava de hoje em dia, de poder dizer: esta receita, é da minha avó que me ensinou, gostava que ela tivesse conhecido a bisneta, que tivesse conhecido o meu irmão....tenho saudades dela,.....é por isso, que esta altura do ano é complicada, eu lembro-me sempre dos entes queridos que já não estão entre nós, mas mais que nunca, o Dia de Todos os Santos, ainda marca mais! Há recordações sim e maravilhosas, mas as tradições, essas infelizmente já morreram e cada vez mais se vão perdendo ao longo dos anos,....

Em algumas zonas do país, nesta altura, as tradições ainda são bem vividas (como eu gostava, que aqui também, assim o fosse)! 

E desde que tenho o blog e visito os meus amigos que também têm blog,...muito se fala destas broinhas, nesta altura do ano. Já tinha feito uma vez, podem ver aqui e este ano, voltei a fazer! 


Ingredientes:

1kg de Farinha
500 gr. de Açúcar 
250 gr. de Leite
4 Ovos
1 Colher de Sopa de Óleo
1 Colher de Sobremesa de Fermento em Pó 
2 Colheres de Sobremesa de Canela
2 Colheres de Sobremesa de Erva Doce
1 Colher de Sopa de Essência de Baunilha (eu usei essência de caramelo)
1 Pitada de Sal
Raspa de Limão a gosto (não puz)
Frutos Secos e Frutas Cristalizadas
Açúcar Baunilhado para Polvilhar
1 Ovo Batido misturado com Leite para Pincelar

Desta vez coloquei receita toda na MFP.
Colocar 1ª os líquidos e depois os sólidos sempre.
Programei programa 8 (clatronic - massa).
Quando finalizou o programa, comecei a tirar bocadinhos de massa, moldei e coloquei num tabuleiro para ir ao forno. Pincelei com um ovo batido c/ leite e polvilhei com açúcar Baunilhado.
Coloquei no forno pré-aquecido a 200º +/-, durante 30 minutos (até ficarem douradinhas). A receita, desta vez, rendeu-me para 34 broas e não fiz todas do mesmo tamanho.

* Alerto que no início do programa, se virem que a farinha fica colada na cuba, dêm uma ajuda, com uma colher, para a massa ficar toda envolvida,....podem abrir a MFP,....



Adoro o cheirinho da erva doce e a canela, nestas broas,....





Ficaram escurinhas, porque coloquei, desta vez, mais canela,...adoro!





                     Fica um cheirinho pela casa,....maravilhoso!





A receita, dá para 34 broas,...mas se fizerem mais pequenas,....dá para mais broas,....




                  Este ano, fiz com frutos secos e frutas cristalizadas,....




               Com um café, ou um chã,..estas broas, sabem mesmo bem,....




             Este cestinho de broas, são para vocês,...sirvam-se à vontade!!




Espero que tenham gostado!!

Continuação de uma boa semana para todos,.....sejam felizes!!!

Beijinhos,.....


Façam o like na minha página, ficarei muito feliz e queria muito ter os vossos likes  J



22 comentários:

Luisa Alexandra disse...

Adoro as Broas dos Santos, como aqui lhes chamamos, excelente aspecto tem as que mostras!

Natacha Rodrigues disse...

Amiga, adoro, adoro, adoro!! :)
Já fiz mas infelizmente as minhas ficaram rijas nos dias a seguir :( Por isso não cheguei a publicar.
As tuas estão lindas! Beijinhos

cozinha100segredos disse...

Pois é, já estamos nos Santos e daqui a nada é o Natal, passa num instantinho! Tantas broinhas! Ficaram ótimas! Beijinhos

Cantinho da Partilha disse...

Hum essas broas! Estão com um aspecto parece até que sinto o cheiro a canela! :) :) :)
Vou lhe confessar algo...as lágrimas caíram-me quando li o seu post...
Eu não conheci nenhum dos meus avós...sou a 6ª filha e já todos tinham partido quando eu nasci...sinto sempre alguma tristeza em relação a isso. E para completar também eu ficava a ajudar no campo e nas casas onde a minha mãe trabalhava, nas minhas férias escolares...
Mas tenho a certeza, que o que nós somos foi por ter mos vivido o que vivemos!

;) ;)

Bjs e obrigada por este bocadinho!

Nina
https://www.facebook.com/cantinhodapartilha/

Ana G. Neves disse...

Olá Mary :)
Ficaram lindas e bem apetitosas. Parabéns!
Beijinho

Recanto com Tempero
http://recantocomtempero.blogspot.pt/

Andrea Bitencourt disse...

Olá Mary!
Que relato mais lindo...eu também cresci com essa sensação, mas por situações diferentes...
Quando nasci, meu avô paterno já havia falecido...e meu avô materno, que havia sido escolhido para ser meu padrinho, infelizmente descobriu um câncer e faleceu meses depois de eu nascer...
A minha avó paterna sempre foi distante de nós...e a minha avó materna, depois do falecimento do meu avô, veio morar com a gente!
Então, todos falavam o quanto era gostoso visitar a avó...e eu morava com a minha, então não tinha o mesmo sabor! rsrs
Mas de qualquer forma, cada um tem sua história e essa é a beleza da vida, todos sermos diferentes e cheios de coisas pra compartilhar!!
Beijos e lindo dia pra ti! =)
www.deliciasdavodeo.com.br

Joana disse...

Ficaram lindas as broas :)
É tão bom relembrar os velhos tempos enquanto se saboreia uma dessas broas.
Um beijinho

O cantinho dos Gulosos disse...

que aspeto delicioso que tem, ia gostar muito comer umas poucas :D


O Cantinho dos Gulosos

Sylvie disse...

Gostei ;)

Andréa disse...

Mary minha querida,
Uma receita gostosa e cheia de boas lembranças!
Amei saber um pouquinho do seu relato, lindo e emocionante, obrigada
pela partilha!
Suas broinhas estão lindas e irresistíveis!

Bjs no seu ♥

Carla Ramalho disse...

Nunca comi estas broas, embora já tenha ouvido falar delas, o problema é que se vai adiando e depois passa para o esquecimento. Tenho de as experimentar já que só levam coisas que eu gosto muito :)
Convido-te a fazer-me uma visita em Gulosoqb

Lorena Bezerra disse...

Oi Mary, que delicia esse seu blog!!!
Por aqui na minha região do Brasil não temos tradição para o dia de todos os santos. O que eu acho uma pena! Adoro essa tradições!!!
Essa sua broa me lembrou muito um "bolinho" que o pessoal do estado do Goiás faz muito. Chamam de só de broa e me lembra infância!!!
Beijokas, Lorena
Dona de casa atrapalhada - cozinhandonapressao.blogspot.com.b

Adita Donaire disse...

Que ricos, te han quedado, hasta mi casa llega el olor de ellos¡¡¡¡¡¡¡¡¡¡¡¡¡¡¡¡¡¡, me encanta el anís, besos

Histórias e Aromas disse...

O teu texto fez me recuar ao meu tempo de primária/ensino básico.
Chegava à da minha avó e la estava ela sempre com a massa no alguidar a levedar para os pãozinho e broas!
Que saudades!
Mas falando dessa tua sugestão! Ficou divinal!
Uma cor fantástica!!!
Beijinho!
Cláudia L. ♥

PINTA ROXA disse...

Até há pouco tempo nunca ouvira falar nestas broas. Por aqui não era hábito serem feitas. No ano passado roubei da net uma receita e fiz, nãos ei de cor se eram parecidas com estas mas gostei muito. Também eu tenho muitas saudades da minha avó paterna...
Ahh e gosto da sua bruxinha.
Vou levar a receita e adaptar á bimby.
bom resto de dia.
Pinta

Susana Machado disse...

Fiquei com vontade de provar!
Beijinhos,
http://sudelicia.blogspot.pt/

Ana Rita Leite disse...

que bom aspecto ;)
xoxo, Ana Rita Leite

WHITE DAISY

piteis da dinha disse...

Oi Mary!
Eu só não conheci meu avô paterno e praticamente fui criada pela minha avó materna pq minha mãe trabalhava, mas ela faleceu quando eu tinha 14 anos.
Amiga eu amei essa broinha, o modo é o mesmo se feito sem a MK de fazer pão?
Bjssssss

Therasia Chagas disse...

Mais uma receitinha que vou juntar à minha colecção de receitinhas portuguesas :D

www.therasiathecook.blogspot.com

Therasia Chagas disse...

Mais uma receitinha que vou juntar à minha colecção de receitinhas portuguesas :D

www.therasiathecook.blogspot.com

Julia Gonzalez disse...

Que recuerdos aquellos Mary, cuantas cosas tenemos por contar de nuestra infancia.
Me encantan los bollos que has preparado, deliciosos!!
Besos y buen fin de semana!!

Avelã disse...

Não ias visitar nenhuns avós a nenhuma aldeia mas tens muitas memórias :) E não são piores por não envolverem aldeias...
Uma que eu não tenho é de fazer essas broas por esta altura do ano. Nunca fiz nem nunca provei! Parecem deliciosas, imagino o cheirinho :)